sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Astromico 2011: Astrobobagem de Marte do tamanho da Lua no céu em 27 de agosto.



(Orlando Rodrigues Ferreira - Observatório Municipal de Campinas Jean Nicolini) Para diversas pessoas a internet é considerada como a principal — e por vezes única — fonte de consulta e referência, detentora de verdades absolutas e incontestáveis, tornou-se objeto da formação de usos, costumes e mentes. Notamos, assim, a manifestação de uma Idade Média cibernética, onde os valores e dogmas de um universo virtual determinam paradigmas que não devem ser refutados ou contestados, caso contrário, os inconseqüentes Giordanos Brunos poderão ser incinerados nas fogueiras da virtualidade e deletados da existência.

Na área da Astronomia, como se fosse trigo entre o joio, a internet realmente oferece excelentes fontes para consultas com sítios dedicados às ciências do espaço, observatórios, planetários e agências espaciais. Por outro aspecto, na maioria das vezes impera a má-fé e outras incalculáveis desinformações, mentiras e inumeráveis erros calcados no misticismo, astrologia, ufologia, teorias de conspirações e astrobobagens que se transformam em hoax1, mas que para muitos são dignos de absoluta confiabilidade. Não raro, ao ministrarmos uma palestra sobre Astronomia e ciências do espaço, alguém da platéia abruptamente procede com alguma intervenção incorreta e, quando perguntamos de onde obteve a informação, prossegue: “– Eu vi na internet!” ou “– Eu recebi pela Internet!”. Entretanto, procuramos utilizar esses elementos fundamentados no senso comum para a construção de um novo conhecimento com maior embasamento científico, contextualizando e interagindo intersubjetivamente.

Reconhecemos que a curiosidade é inata ao Ser Humano, preciosa ferramenta que deve ser incentivada e preservada à construção do intelecto, porém, o conhecimento não deve ser embasado em falsos pressupostos ou informações. Para ilustrar, abordaremos um fenômeno na internet que desconstrói o saber, a famosa recorrência que, desde 2003, aporta em muitos correios-eletrônicos em agosto e, infelizmente, se torna amplamente divulgada pelos diversos meios de comunicação (jornais, portais-e, televisões, etc.), asseverando que ―Marte ficará do tamanho da Lua em 27 de agosto”, igualmente conhecido como as ―Duas Luas no céu em 27 de agosto”.

Vamos às origens dos boatos. Em 27 de agosto de 2003, o planeta Marte se encontrava em oposição a Terra, isto é, ambos estavam do mesmo lado do Sol em torno de 55.760.000 km um do outro, algo que não ocorria com essas características fazia alguns milênios, apesar de Marte e Terra se encontrarem em oposição em média a cada 780 dias (período sinódico de Marte) e, mais favoravelmente, aproximadamente cada 17 anos. Na época foi um belo espetáculo aos telescópios, porém, para quem observou à vista desarmada, Marte se apresentou no céu somente como um intenso ponto luminoso e avermelhado, com magnitude -2,44 e diâmetro aparente de 25,1‖ (segundos de arco). Na ocasião, em Campinas, o planeta começou a se elevar no horizonte leste às 18h16 e teve seu poente por volta das 06h55. Na mesma data, a Lua, com diâmetro aparente de pouco mais de 0,5º (meio grau), surgiu no horizonte leste às 06h29, teve seu ocaso às 17h57 e se encontrava na fase de nova. Portanto, Marte e Lua não foram observados no céu na mesma noite naquele 27 de agosto de 2003.

Então, surgiu a malfadada astrobobagem plantada na internet, vicejando qual erva daninha regada pela crença néscia daqueles que tudo aceitam e nada contestam, afirmando que, em 27 de agosto, “Marte e a Lua poderiam ser vistos do mesmo tamanho no céu” ou que “Duas Luas poderiam ser vistas no céu”. Como um rastilho aceso de pólvora que não poderia ser apagado mesmo com as águas de mil dilúvios, espalhou-se a falsa notícia, que fora corrompida e traduzida erroneamente a partir de uma informação correta da NASA, a agência espacial americana. Ademais, passou a ser disseminada pela rede mundial de computadores acompanhada com uma apresentação em Power Point contendo fotomontagens, desinformações e erros grosseiros. Para completar a bagunça, místicos e esotéricos se aliaram à corrente adicionando outros despautérios e, no final, a bosteira estava feita, remexida e fedendo ainda mais.

A inverossimilhança se disseminou de tal maneira, que diversos meios de comunicação se encarregaram de divulgar a farsa, mesmo que inocentemente. Por pressuposto, uma parcela da mídia deveria antes consultar quem realmente pode oferecer as melhores informações e esclarecimentos sobre as coisas do espaço: os astrônomos. Dois grandes jornais paulistas de projeção nacional – entre outros –, redes de TVs e portais eletrônicos também passaram a noticiar que Marte ficaria do tamanho da Lua no céu em agosto e, assim, prosseguiram pelos anos seguintes, inclusive até hoje, em 2011. Por fim, acabaram descobrindo (alguns ainda não) que foram vítimas dos boatos, mas a barriga2 já estava feita e o fato entrou para o anedotário jornalístico e astronômico.

Desse modo, desde 2003, quando se aproxima o final de julho e início de agosto, o burlesco marciano retorna e se espalha qual praga por milhões de correios-eletrônicos, atacando indistintamente a todos. A alegação de que Marte ficará do tamanho aparente da Lua ou que haverá duas Luas no céu em 27 de agosto acabou se tornando um dos grandes micos astronômicos na internet, ou seja, um estrondoso Astromico que muitas pessoas teimam em pagar todos os anos ao disseminar por mensagens eletrônicas e outros meios para todos os cantos e recantos deste mundão.

Cada ano novos elementos são adicionados à coscuvilhice. Em 2009 novos disparates foram acrescentados, como “O Planetário Internacional de Vancouver, da British Columbia, Canadá, calculou a precisão em que Marte estará orbitando perto da Terra (...)”; naquela ocasião, o H. R. MacMillan Space Centre prontamente passou a desvincular a instituição em relação à mentira e a divulgar os esclarecimentos em www.hrmacmillanspacecentre.com. Por derradeiro, envolveram uma entidade respeitada, cujos profissionais deveriam estar rindo, ou pior, chorando convulsivamente e tomando altas doses de benzodiazepinas e demais ansiolíticos. Outras: “O planeta Marte será a estrela mais brilhante do céu...”, essa foi um forte chute nas partes pudentas, pois Marte agora foi elevado à estrela; “Não perca!! Será como se a Terra tivesse duas Luas cheias...”, na mensagem se encontra uma fotomontagem com duas Luas cheias, devendo ser uma para quem quiser virar lobisomem e a outra para ajudar a pescar.

Enchendo e transbordando o manicônio pelo lado místico, esotérico e ufológico, agregaram a sandice da pseudoprofecia Maia aliada ao final dos tempos para 2012. Isso converte Nostradamus em aprendiz de vidente e arremessa um caminhão pipa de água gelada em quem intencionava assistir aos jogos da Copa de 2014 no Brasil, afinal o mundo não mais existirá e, sequer, haverá campos de futebol e líderes de torcidas fazendo acrobacias com roupas diminutas, o que muito lamentamos.

Devemos atentar para algo importante caso Marte se aproximasse da Terra o suficiente para se apresentar do tamanho aparente da Lua, qual seja, talvez não permaneceríamos prestando tanto a atenção no céu, pois estaríamos mais preocupados em tentar sobreviver devido aos estarrecedores cataclismos advindos da interação gravitacional entre os dois planetas, como terremotos, maremotos, erupções vulcânicas, furacões, tempestades de proporções inimagináveis, desvios no eixo terrestre ou desgraças muito piores, como a ocorrida eleição do palhaço Tiririca para deputado federal.

Muitos astrônomos ficam indignados e se irritam com a boataria e outros, simplesmente riem entre lágrimas ao observar a insensatez humana às crenças mais diversas. Entre 25 a 27 de agosto de 2008, o Observatório Municipal de Campinas ―Jean Nicolini‖ (OMCJN) registrou quase 200 telefonemas de pessoas que queriam ver as ―duas Luas no céu‖ — algumas muito preocupadas com as conseqüências nefastas que poderiam advir. Em 2009 e 2010 não foi diferente e, neste 2011, muitos telefonaram (pessoas, escolas, instituições, etc) querendo comparecer para presenciar o evento, assim, o embuste perdura e continua a enganar os incautos e, principalmente, a próprios meios de comunicação. Entretanto, notamos que, desde 2008, acrescentou-se a ―chuva de meteoros‖ (radiante meteórica) das perseidas, que somente se torna visível favoravelmente para o Hemisfério Norte e não às plagas mais altas de latitude sul, o que não impediu inúmeros telefonemas ao OMCJN e outras tantas dezenas de pessoas comparecendo no Monte Urânia, Serra das Cabras, numa madrugada gélida de agosto para ver absolutamente nada no céu. Quando esclarecidas, se davam conta do astromico que estavam pagando, principalmente por terem ajudado a disseminar o erro, mas tudo terminava em animadas conversas entre os interlocutores.

No entanto, todos os astrônomos sérios adotaram a estratégia – verdadeira missão hercúlea – de combater as propaladas astrobobagens. Dentre estes, destacamos o professor Irineu Gomes Varella, da Escola de Astrofísica do Planetário ―Aristóteles Orsini‖, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Transcrevemos alguns trechos do amigo e astrônomo publicado em 2009:

“Tem circulado pela internet a falsa informação sobre uma suposta aproximação do planeta Marte em 27 de agosto deste ano. Todos os anos (...) sem qualquer base científica (...) para piorar ainda mais (...) acrescentam que Marte poderá ser visto com tamanho aparente da Lua!!! Essa é uma besteira astronômica (...) que não se deve dar crédito (...) para algumas pessoas parece ser indício de verdade (...)
As próximas grandes aproximações de Marte em relação à Terra se darão em:
1. 31 de julho de 2018 – Distância Terra-Marte = 57,59 milhões de km
2. 11 de setembro de 2035 – Distância T-M = 56,91 milhões de km
3. 15 de agosto de 2050 – Distância T-M = 55,96 milhões de km
4. 30 de agosto de 2082 – Distância T-M = 55,88 milhões de km
5. 03 de agosto de 2097 – Distância T-M = 57,13 milhões de km
(...)

Aproximação de Marte em 2009
Reafirmando o que venho escrevendo desde 2004, MARTE NÃO FICARÁ DO TAMANHO APARENTE DA LUA NO DIA 27 DE AGOSTO, NEM EM 2009 E NEM NUNCA!!! A próxima oposição do planeta se dará em 29 de janeiro de 2010 (...) estando Marte a 99 milhões e 330 mil quilômetros de nosso planeta (...) Inventaram agora que foi o Planetário de Vancouver que divulgou cálculos (...) Qual será a fonte do ano que vem? Peço a todos que receberem a mensagem sobre a aproximação de Marte, que a deletem. Não repassem a nenhum de seus contatos. Não vamos difundir um erro e propagar notícias produzidas por pessoas ignorantes.”

VARELLA, Irineu Gomes. in: Uranometria Nova, www.uranometrianova.pro.br/astronomia.


Complementando com alguns esclarecimentos. Em média, a Lua dista 384.400 km da Terra e, em 27 de agosto de 2011, estará indo para sua fase de nova (29/8, 00h00), com seu nascer às 04h54 e ocaso às 16h31. Marte, que teve sua última oposição em 29 de janeiro de 2010 e a próxima somente em 03 de março de 2012, nascerá às 03h33 em 27 de agosto de 2011, com ocaso às 14h12 e distando 314.519.444 km do nosso planeta. Logo, o fato é que a Lua e Marte, além de não se encontrarem visíveis no céu (mapa celeste abaixo) na noite de 27 de agosto de 2011, estarão 818 vezes mais distantes um do outro. No entanto, para quem for paciente e quiser esperar até 29 de agosto de 2287, Marte terá uma das mais favoráveis oposições em relação a Terra, quando ficará somente a 55.686.000 km (28/08/2287, às 21h28), algo em torno de 145 vezes mais distante que a Lua.

Entretanto, como a equipe do OMCJN prefere não perder a piada, as pessoas que teimarem em acreditar em lendas urbanas, teorias de conspirações, falsos boatos, discursos políticos e demais tipos Me engana, que eu gosto! que comparecerem ao sítio astronômico no Monte Urânia, Serra das Cabras, desejando ver Marte do tamanho da Lua, discos-voadores e chuvas de meteoros inexistentes para o Hemisfério Sul no próximo 27 de agosto, poderão retornar no domingo, 28 de agosto, das 17h00 às 21h00, que serão recepcionadas e devidamente esclarecidas pelos astrônomos.

Para completar, também serão agraciadas com o certificado do Astromico 2011 solenemente outorgado pela ACREDITEI (Associação dos Crédulos Renitentes e Excepcionalmente Devotados à Internet com Tolas e Esdrúxulas Informações), documento completamente inútil, imprestável e sem qualquer valor, devido e falsamente assinado pelo fundador, patrono e mitômano-mor da instituição, o Barão de Münchhausen3, o maior mentiroso da história, e endossado pelo Papai Noel, Saci-pererê, Coelhinho da Páscoa e o ET de Varginha, uma feliz e jocosa recordação do mês do folclore astronômico.
----
E mais:
Marte enorme no céu? (AstroPT)

Nenhum comentário:

Postar um comentário